quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Lisboa International Triathlon

































Estava a acabar a minha 1ª época de triatlo quando o pessoal, Telmo, Susana e o Pedro me disseram, que no ano seguinte o que queriam fazer era o meio home de ferro(1,9km – natação;90 Km – bicicleta; 21 Km – atletismo), coisa que me fascinava, pois ao ver que já tinha feito dois triatlos sprint (segundo a gíria de um certo forum – dois triatlos de volta ao bidon) e um olímpico, queria fazer algo mais, e esse algo mais, o objectivo último é fazer um homem de ferro, ou seja, o dobro do meio. Como treino para essa etapa que ainda não chegou propus-me fazer uns quantos meios antes de enfretar a suprema prova.
Foi a 5 de Maio de 2007, que veio, a prova. Acordei às cinco da manhã para tomar o pequeno almoço, já que às oito estaria em competição, e não entrava nada no estômago, o nervosismo era muito. Depois veio a preparação para prova, verificar todo o material já que a prova seria longa e nada poderia falhar.
Sete e cinquenta minutos da manhã, vou para a piscina do oceanário para fazer o aquecimento, para mim mais uma vez seria a parte que eu tinha mais medo, a parte em que eu estava menos à vontade, e vejo em meu redor, cerca de 350 atletas, nunca vira tanta gente em prova, apenas 60 dos quais eram portugueses.
Oito da manhã, tiro de partida é dado, e os 350 atletas aos encontrões, lá se vão movimentando, naquela paisagem magnifica, em volta do oceanário, e sem eu dar por isso já estava na 2ª volta e acabar a natação, tinha corrido bem.
Por volta das 8:36, chego ao parque de transição, e vem a 2ª parte, o ciclismo, de 90 Km parcialmente planos, só que no dia, com demasiado vento. Também esta parte da prova correu bem, com maior ou menor esforço, lá fiz mais um sector, já só faltava o atletismo, a parte em que me sinto mais à vontade.
Ao contrario do que pensava, o esforço de quase 3 horas e 40 minutos começou a fazer-se sentir em todo o meu corpo, os primeiros 5 Km ainda correram bem, depois veio a ecatombe, tudo me custava, eram as pernas, era o calor, tudo me deitava a baixo, mas eu disse para mim próprio, tenho que conseguir, e lá consegui superar mais uma etapa para o tão desejado homem de ferro, mas com a certeza de que para o fazer teria ainda um longo caminho para percorrer.




































































1 comentário:

paulo miranda disse...

homem de ferro = o dobro do meio!!!

(contas boas de fazer)